quinta-feira, 25 de maio de 2017

Discurso de Fernando Bonito Dias, candidato a presidente da Assembleia Municipal do Marvão para Todos, na apresentação de candidatura do dia 6/5/2017


Boa tarde, minhas senhoras e meus senhores…
Quero agradecer a presença de todos vós nesta Apresentação do Movimento Independente “Marvão para Todos”. Acreditem, é uma presença muito importante!

1 – Reflexão inicial

Não sendo políticos, de profissão, hoje, nesta apresentação, estamos aqui a realizar uma ação política! Porque, por vezes, envolve motivações e comportamentos menos dignos, a política origina em muitos sentimentos de repulsa; de afastamento.

Contudo é importante lembrar que, vivendo nós em comunidade, é através da ação política que se tomam importantes decisões; importantes escolhas; na gestão da vida dessa mesma comunidade. 

Felizmente, num sistema democrático!

Se por causa desses comportamentos menos dignos aqueles que são pessoas livres, honestas e competentes se afastarem da política a quem ficarão entregues as tais escolhas? As tais decisões? Enfim, a gestão da comunidade. Da nossa comunidade! Da nossa terra! E, nesse cenário, a democracia sai defendida?

É, porventura, nesta reflexão que se baseia a primeira razão de aqui estarmos, hoje, a apresentar uma candidatura independente às eleições autárquicas de Marvão.

Quero, desde já, acrescentar um importante ponto a esta reflexão inicial. No “Marvão para Todos” sentimos o confronto político que agora vivemos (e que culminará nas eleições de um de Outubro) como algo perfeitamente normal e saudável em democracia. Para nós, isto não é uma guerra, nem se trata de combates pessoais. Haverá, com certeza, gente de que gostamos em todas as listas; gente que consideramos; de quem somos amigos ou até familiares! Aproveito, desde já, para enviar um cumprimento cordial e democrático a todos os candidatos das outras listas. Há pessoas que estimo em todas elas!

2 – As origens do Movimento

Conforme já referido, o Movimento independente “Marvão para Todos” surgiu, basicamente, por três razões principais.

1ª – O executivo que governava Marvão (ainda agora em funções) não trabalhava em equipa, não revelava dedicação, não mostrava capacidade de Gestão e a sua ação construtiva dirigia-se, reiteradamente, apenas na defesa dos interesses de alguns.

2ª – A oposição mostrava-se amorfa, sem organização, sem capacidade de ação e sem capacidade para atrair novas competências; apresentando, eleição após eleição, resultados cada vez menos conseguidos. A oposição não se revelava, portanto, uma alternativa com um projeto consistente capaz de alterar o rumo dos acontecimentos.

3ª – Face à ação do executivo, sentia-se um ambiente social no concelho pouco democrático.
Por isso, constituímo-nos como oposição ativa e decidimos avançar na construção de uma verdadeira solução alternativa de governação.

Hoje, todos podemos verificar, com dados objetivos, que estávamos certos e em boa hora decidimos avançar com o Movimento Independente “Marvão para todos”! Hoje, verifica-se que:

1º - A desintegração do executivo, que culminou em duas candidaturas autárquicas (a do PSD e a do CDS/PP), veio confirmar o óbvio: aquele executivo nunca foi uma verdadeira equipa de trabalho!

2º - A oposição formal (o PS), com a candidatura que agora apresenta, demonstrou não ter trabalhado ao longo do tempo, de forma consistente, qualquer projeto alternativo, tendo necessidade de recorrer (já em último recurso) a uma personalidade resgatada ao seu passado longínquo.

3º - Verifica-se hoje, claramente, com variadíssimos episódios contados na primeira pessoa, que a pressão e perseguição aos que não apoiam o poder atualmente vigente em Marvão é uma realidade diária e persistente.

Portanto, não existe, de facto, justiça em Marvão! Não existe, de facto, um verdadeiro ambiente democrático no concelho de Marvão.

Hoje, afirmamos, perfeitamente convictos: Pela democracia, pela liberdade e pela apresentação de uma alternativa livre e consistente (que seja para todos) em boa hora decidimos avançar, com independência partidária, com o Movimento Independente “Marvão Para Todos”!

Optámos, democraticamente, pelo caminho, diria, mais difícil; mais espinhoso. Poderíamos estar confortavelmente instalados no seio de uma máquina partidária, sem necessidade de proceder à recolha de assinaturas, com fortes apoios logísticos e financeiros, com profissionais da política na organização da candidatura e da campanha…

Contudo, embora com um processo muito mais difícil e trabalhoso, sinto-me muito confortável; sentimos-nos muito confortáveis; no seio do Movimento Independente.
Pois só assim, com independência, não estando sujeitos aos interesses partidários, às jogadas de bastidores, às imposições e manipulações, aos arranjos por interesses eleitorais (completamente incompatíveis com a realidade dos 4 anos anteriores) seremos verdadeiramente livres para fazer as nossas escolhas e implementar o nosso projeto. Prestando contas apenas à nossa consciência e aos marvanenses!

É que, infelizmente, hoje o ambiente político-partidário em Marvão é completamente diferente dos tempos de António Andrade ou Manuel da Paz, por exemplo, pois valores como a decência e respeito (pelos opositores políticos) são cada vez mais mal tratados. Vive-se, hoje, no seio dos partidos e na relação entre eles um ambiente que, me parece, não dignifica ninguém!


3 – As equipas que agora apresentamos

Como previsto, durante este longo período, fomos ganhando Identidade e seguindo um processo natural de construção do projeto e das equipas.

Como previsto, durante este longo período, os vários elementos do grupo foram-se dando a conhecer. Através dos seus comportamentos, foram revelando a sua personalidade, as suas prioridades e, até, claros objetivos individuais.

Entretanto o grupo foi crescendo e muitos outros (jovens e menos jovens) se foram juntando ao “Marvão para Todos”, tornado, assim, o Movimento Independente cada vez mais forte! Hoje, chegou o dia, apresentamos as nossas equipas e já algumas linhas orientadoras do nosso projeto.
Como temos vindo a afirmar, pretendemos sobretudo (ao contrário do que agora se verifica) ter a gerir os destinos do nosso concelho, uma EQUIPA DEDICADA, COESA, COMPETENTE E JUSTA!

3.1 - As Juntas de Freguesia

Uma das linhas orientadoras que já apresentámos é “Promover a cooperação e coordenação permanente do trabalho entre o executivo camarário e as juntas de freguesia”.

Para as juntas de freguesia apresentamos equipas constituídas por elementos cujas competências se complementam. A complementaridade entre o “SABER” e o “SABER FAZER” foi uma premissa fundamental para a constituição dessas equipas.

Para estar à frente de uma Junta de Freguesia não chega ser simpático! É preciso competência para “FAZER ACONTECER” para “AGIR”, em equipa (sempre) e em coordenação com a Câmara Municipal. Estou convicto que apresentamos equipas com estas características.

3.2 – Assembleia Municipal

Para a AM apresentamos uma equipa que muito me orgulho de encabeçar!

Apresentamos gente com muita experiência autárquica e gente que estará nesta atividade pela primeira vez; apresentamos jovens e menos jovens; temos a comunidade estrangeira representada (comunidade que, pensamos, deve ser ouvida e acarinhada); enfim, apresentamos gente com diferentes sensibilidades.

E, acima de tudo, apresentamos gente com elevado sentido crítico. Gente capaz de “pensar pela sua cabeça” na defesa das melhores soluções para o seu concelho. Por isso, com o “Marvão para Todos” comprometemo-nos a defender uma AM com características completamente antagónicas à que temos tido nos últimos anos!

Com o Movimento Independente teremos, seguramente:

- Uma AM que procurará envolver a comunidade, realizando-se às 20.00h e, face à dispersão do concelho, realizando-se pelo menos uma vez por ano em cada uma das outras freguesias (Beirã, SAA e SSA).

- Uma AM em que os seus membros serão ativos, terão autonomia para apresentar as suas ideias e para votar, cada assunto, de acordo com a sua consciência.

- Uma AM transparente. Em que todos terão sempre oportunidade de se expressar; membros de todas e forças ali representas e o público, de acordo com o Regimento.

- Uma AM dominada e gerida pelos seus membros, de acordo com o Regimento, e não pelo poder executivo vigente.

Este é o meu compromisso! Este é o compromisso da Equipa da AM!

3.3 – Câmara Municipal

No que concerne à Câmara Municipal, orgulhamo-nos de apresentar (já) uma equipa de 5 elementos em que, mais uma vez, a complementaridade de competências é uma evidência.

A liderar esta equipa apresentamos alguém que, como era nossa intenção inicial, emergiu naturalmente na evolução deste longo processo. Alguém que não se impôs; alguém que não foi imposto!

Há dois anos e meio, não conhecia pessoalmente a Prof. Teresa Simão, mas sabia, que:

- Era um dos marvanenses com melhor curriculum académico (com licenciatura, mestrado e doutoramento…)

- Tinha um permanente interesse e ligação ao concelho de Marvão, através da pesquisa, investigação e publicação de trabalhos sobre o seu património imaterial.

- O seu trabalho como Professora no concelho era valorizado por dezenas de jovens que iam sendo seus alunos (e respetivos pais).

(Aproveito para me dirigir especialmente a esses jovens, solicitando o seu apoio para a nossa causa, pois se há quem conheça bem as capacidades da Prof. Teresa Simão são eles, com certeza!).
Após estes dois anos e meio de trabalho conjunto neste projeto, posso acrescentar que a Prof. 

Teresa Simão:
- Apesar do seu importante curriculum académico é de uma simplicidade desconcertante;
- Tem uma capacidade de trabalho extraordinária;
- Tem uma capacidade de organização assinalável,
- É dedicada. É persistente. É batalhadora;
- Revela uma enorme capacidade de liderança; mas sempre trabalhando em equipa;
- É muito exigente (sempre com ela própria em primeiro lugar); dá o exemplo,
- Revela sentido de justiça;

E, acima de tudo:
- É confiável! Com ela existe um rumo, sabemos o que dela esperar!
Caso assim os marvanenses o determinem, será, garantidamente, uma excelente presidente de Câmara!

A Prof. Teresa Simão e a sua equipa representam, nestas autárquicas em Marvão, a única alternativa virada para o futuro! Senão vejamos:

Saídas do atual executivo temos a candidatura do PSD (com a qual se pretende manter o poder vigente a todo o custo) e temos a candidatura do CDS/PP (denominada Viver Marvão), que esteve os últimos doze anos a partilhar esse mesmo poder;

E temos uma terceira alternativa, a da oposição formal (do PS), que apresenta uma candidata, como referi anteriormente, resgatada dum passado longínquo.

Estamos, portanto, perante três candidaturas, de três máquinas partidárias (PSD, CDS/PP e PS), todas elas originárias e viradas para o passado! Parece-me assim claro que a alternativa de futuro, a verdadeira mudança, é apresentada pelo Movimento Independente “Marvão para Todos”, através da Prof. Teresa Simão.

4 – Os 3 cenários possíveis no futuro – Este projeto “Marvão para Todos”, após todo o processo de desenvolvimento descrito, enfrentará, dia um de outubro, um de três cenários alternativos:

1º Cenário -  Os Marvanenses não lhe revêem qualidade e não dão mandatos aos seus elementos. Neste cenário ficaríamos naturalmente decepcionados mas de consciência tranquila pois, não concordando com a governação vigente, não nos limitámos a criticar e avançámos com uma alternativa.

2º Cenário – Os Marvanenses revêem alguma qualidade no projeto, dando-lhe mandatos, mas como oposição (seja as Juntas, AM ou Câmara). Neste cenário desenvolveremos, certamente, uma oposição ativa, consistente e construtiva, pois pretendemos que este Movimento seja um projeto de futuro. A este respeito refira-se que até já temos a Marca “Marvão para Todos” registada, por 10 anos, no Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

3º Cenário – Os Marvanenses revêem grande qualidade no projeto, dando-lhe mandato para governar. Neste cenário, como referi, temos equipas capazes, competentes e motivadas (seja nas Juntas, AM ou Câmara) para desenvolver um bom trabalho em prol de TODOS os marvanenses.
Em resumo, o nosso compromisso é colocar à disposição dos marvanenses as nossas experiências e competências (sejam académicas, sejam profissionais, sejam de vida) bem como a verticalidade, a honestidade e o elevado espírito de liberdade e democracia. Sempre com muita paixão pela nossa terra!

Acima de tudo, pretendemos defender a Justiça e a Democracia na nossa terra! Eu nasci em 1970 e sou filho de pequenos agricultores. Se não tivesse sido a revolução democrática de 74 jamais teria tido o percurso de vida que tive oportunidade de ter; jamais teria a oportunidade de estar hoje AQUI!

Uma palavra final para todos os elementos das nossas listas, os já anunciados e os ainda não anunciados: Não temos máquina partidária ao nosso dispor, mas temos já um elevado número de pessoas, muito capazes. Precisamos de todos e de outros que se queiram a nós ainda juntar. Precisamos do esforço, dedicação e coração de todos para levar este barco a bom porto… Para que em Outubro os Marvanenses votem, com razão, no CORAÇÃO!

Viva Marvão!

Viva um concelho de Marvão REALMENTE para todos!


Obrigado!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Discurso de Teresa Simão no dia de apresentação da Candidatura à Câmara Municipal de Marvão (6/5/2017)


Caros Amigos, atingimos hoje mais uma etapa!

A 31 de outubro de 2015, estivemos aqui presentes para apresentar o movimento independente Marvão para Todos e, entre outros aspetos, referimos a nossa intenção de apresentarmos uma candidatura às eleições autárquicas de 2017. Pois é com muito orgulho e muita satisfação que, cerca de um ano e meio depois, aqui estamos para dar cumprimento à nossa palavra, apresentar as equipas candidatas aos diversos órgãos autárquicos e, mais, avançar já com algumas propostas para vir a renovar e melhorar a qualidade de vida dos marvanenses e de todos aqueles que elegem o nosso concelho para trabalhar, residir ou simplesmente passear!

Desde a nossa apresentação pública, muito trabalho foi desenvolvido, o grupo foi francamente ampliado e, todos juntos, temos contribuído para construir a identidade que atualmente nos orgulhamos de ter, bem como traçar um projeto sólido que é seguramente uma forte alternativa a apresentar aos marvanenses.

Só trabalhando em equipa, com amizade, lealdade, competência, dedicação e muita entrega a esta causa foi possível chegarmos a esta fase.

Porquê o desafio de integrar um projeto político e, em concreto, o movimento independente Marvão para Todos?

Todos nos conhecem e sabem que, ao longo das nossas vidas, temos contribuído abnegadamente para dinamizar e melhorar as condições de vida do concelho que nos viu nascer e crescer ou em que vivemos, quer seja integrando as diversas associações do concelho, quer seja individualmente. Na verdade, o concelho de Marvão tem estado sempre presente nas nossas vidas!
Chegou agora o momento de abraçar um novo desafio – participar na gestão do nosso concelho com a apresentação da candidatura aos diversos órgãos autárquicos através de um movimento independente. Sim, somos os únicos (pelo menos dos apresentados até ao momento) que podemos dizer verdadeiramente que somos independentes.
Se, por um lado, nos exige muito mais dedicação, nos obrigou a trabalhar muito mais para irmos criando uma identidade; por outro lado, traz-nos muitas vantagens, sendo a principal a maior defesa da democracia.
Ao trocarmos ideias sobre os movimentos independentes e as diversas candidaturas já conhecidas, o Dr. Rui Moreira, autarca do Porto eleito por um movimento independente, quis deixar-nos uma nota para partilharmos:
“As candidaturas independentes são uma afirmação da cidadania e estou certo de que o vosso movimento irá contribuir para o aprofundamento da democracia em Portugal.”

Sem dúvida, é respeitando as bases da democracia que, e sempre em equipa, contamos gerir o desenvolvimento do nosso concelho de forma integrada, cumprindo rigorosamente a lei e tratando todos os munícipes de igual modo. Essa lógica de integração permanente inclui também a promoção de uma cooperação contínua entre o executivo camarário e as juntas de freguesia, tendo sempre em vista o chegar a mais gente possível e de forma igualitária.
Não é por acaso que hoje optámos por apresentar aqui todos os cabeças de lista e já alguns dos seus mais próximos colaboradores da câmara municipal, da assembleia municipal e das diversas juntas de freguesia. Há muito que temos as equipas constituídas e há muito que trabalhamos em conjunto, no sentido de elencar as necessidades do nosso concelho.

O papel de candidata à câmara municipal de Marvão…

Hoje apresento-me aqui na posição de candidata a presidente da câmara municipal de Marvão! Muitos estranharão ver-me nesta posição de maior visibilidade, pois sabem que sempre gostei de trabalhar em prol do meu concelho, mas de forma discreta. Na verdade, há muito que trabalho desinteressadamente em prol da valorização de Marvão, em concreto, e do Alto Alentejo e da raia em geral, essencialmente na sua componente de Património Imaterial que, como sabem, diz respeito às identidades, aos costumes e às tradições.
Há um ano e meio, se me indicassem esta posição, diria logo que não passava pelos meus planos, mas a passagem do tempo e as circunstâncias assim o proporcionaram. Na verdade, aceitei encabeçar a lista candidata à Câmara Municipal de Marvão em nome do amor que sempre tive pela minha terra e também porque senti que não podia deixar de responder aos apelos não só dos membros da equipa a que pertenço, mas também dos muitos marvanenses que nos últimos tempos me foram incentivando a fazê-lo. Como defraudar quem em mim depositava tanta esperança e confiança?

À semelhança dos meus companheiros do Marvão para Todos, sinto um grande orgulho ao integrar um grupo de pessoas marcado por uma grande heterogeneidade, na qual aliamos diferentes gerações, diferentes formações, diferentes personalidades, em que muita gente surge pela primeira vez no contexto político, com novas ideias, novas visões e massa crítica para conseguirmos apresentar uma melhor alternativa. E, acima de tudo, um grupo de pessoas cujas formações e vidas profissionais não precisam da política para viver, o que nos confere maior liberdade de pensamento e ação, tendo em vista a busca do bem comum das nossas comunidades.

Em breve apresentaremos o Programa de Ação para o concelho, em geral, e para as freguesias, em concreto. Como já referi, esse programa está a ser construído com o apoio de todos, pois o trabalho numa equipa alargada, e com visões cruzadas sobre problemas comuns, é muito mais profícuo do que se for feito por um grupo reduzido. O debate será ainda alargado em breve a todas as instituições do concelho, bem como à população em geral.

No Marvão para Todos, a opinião de Todos é verdadeiramente importante!

Apresentadas as equipas publicamente e dada a conhecer a nossa extrema motivação para continuarmos a trabalhar em prol de um Marvão melhor e para Todos, passo a apresentar dois dos nossos pilares de atuação, caso os marvanenses nos confiem o seu voto:

A- Preocupação permanente com as pessoas e as suas necessidades;

B – Contribuição para um desenvolvimento económico sustentável.

No que diz respeito ao primeiro, centrado nas pessoas e nas suas necessidades, avançamos já com algumas propostas a título de exemplo:

1 – Democraticidade e liberdade: Pretendemos devolver aos marvanenses os princípios básicos da democraticidade e da liberdade que cultivam um verdadeiro contexto de identidade comunitária marvanense.
O concelho de Marvão tem sido assolado nos últimos tempos por clivagens, tiques de caciquismo e cultura do medo (“se não és dos meus, és contra mim”), inadmissíveis num Estado democrático e de direito e que em nada contribuem para uma comunidade criativa e de desenvolvimento. Uma comunidade com medo e oprimida é uma comunidade que se retrai e não desenvolve todas as suas potencialidades. Connosco ninguém será perseguido ou marginalizado por ter outra cor política ou pertencer a outro partido. Para nós, Todos os marvanenses serão iguais no tratamento. Para nós, o nome Marvão para Todos não será apenas um slogan ou uma denominação, terá que ser mesmo um princípio de saber estar quotidiano;

2 – Mobilidade: Marvão é um concelho de pequena dimensão, mas muito disperso. Assim, a mobilidade assume-se como uma prioridade. Por exemplo, é necessário implementar um circuito de transporte e acompanhamento dos munícipes mais dependentes para as diversas instituições (centros de saúde, câmara, etc.); fazer chegar serviços descentralizados da câmara às freguesias…

3 - Garantir o saneamento básico a todos os munícipes: Em pleno século XXI, o concelho de Marvão ainda tem graves problemas de saneamento básico, sobretudo na parte norte do concelho, o que é inadmissível! O Marvão para Todos terá aqui uma das suas principais prioridades para o primeiro mandato;

4 – Cuidados de Saúde: A candidatura do Marvão para Todos compromete-se a trabalhar em colaboração com a ULSNA e com privados, com a finalidade de melhorar a prestação de cuidados a todos os marvanenses, inclusivamente, proceder à contratação de técnicos que sejam carentes no concelho;

5 – Ensino e Educação: Muito há a fazer, mas sempre numa lógica de cooperação com o agrupamento local e as instituições escolares que recebem os jovens marvanenses no prosseguimento dos seus estudos. Para contrariar o abandono escolar e apoiar as famílias mais carenciadas, sugerimos a criação de um modelo estruturado de apoio a todos os estudantes que frequentem o sistema de ensino fora do concelho, de que fará parte a atribuição de passes sociais gratuitos, bem como a implementação mais alargada de bolsas de estudo no ensino superior;

6 – Apoio Social: Por exemplo, fomentar e liderar a constituição de uma “Federação” das Instituições de Apoio Social do concelho de Marvão, com vista a melhorar os cuidados de apoio social e a partilhar recursos;

7 – Serviços de Apoio aos Munícipes: Implementar o princípio de que os serviços camarários fazem parte da resolução de problemas dos munícipes e que não se deverão apresentar como mais um entrave e um condicionamento aos mesmos.

No que diz respeito ao segundo pilar, o do desenvolvimento económico sustentável, propomos:

1 – Investir fortemente na marca Marvão: Para o efeito, pretendemos dinamizar a certificação de produtos agrícolas, contribuir para facilitar o seu escoamento, no fundo, rentabilizar o potencial agrícola do nosso concelho, gerando emprego e receitas. Logo, potenciando a fixação de pessoas;
2 - Preservar e desenvolver o património edificado e natural que nos diferencia: Por exemplo, implementar uma rede organizada de circuitos pedestres por todo o concelho;

3 - Promover o diálogo e a cooperação entre a câmara e os “operadores” turísticos: Ser agente facilitador (e promotor) nos projetos estruturantes;

4 - Valorizar a marca Nordeste Alentejano e Valência de Alcântara: continuar e reforçar a cooperação efetiva com os concelhos vizinhos;

5 – Dinamizar um gabinete de apoio às empresas. Não queremos que este funcione como um museu estático, mas sim como um facilitador de informação especializada a facultar aos empresários, para que estes consigam ultrapassar mais facilmente os entraves que lhes surgem e desenvolver os seus projetos com sucesso. Sim, porque o sucesso dos nossos empresários representa uma garantia acrescida de emprego, riqueza e bem-estar, ajudando, assim, a fixar pessoas no concelho, o qual luta atualmente contra a interioridade e a desertificação.
Após a apresentação de algumas linhas gerais de atuação, penso que ficou bem claro que a nossa prioridade é a nossa terra e as nossas gentes e que será em prol disso que trabalharemos em exclusividade! Trabalharemos para que se viva melhor em Marvão, para que mais gente se orgulhe de partilhar connosco a nossa terra.
Contem comigo e com as equipas aqui hoje apresentadas!
Juntem-se a nós e ajudem-nos a contribuir para o sucesso desta candidatura! No fundo, ajudem-nos a ajudar-vos futuramente!
Viva o Movimento Independente Marvão para Todos!
Viva o concelho de Marvão e os marvanenses!